A equipe ACCIONA | SAINZ XE Team chega ao deserto do Atacama na estreia do Extreme E na América Latina

COMPARTILHAR

22/09/2022

A penúltima rodada da temporada vai aumentar a consciência sobre o uso responsável dos recursos minerais

A EQUIPE ACCIONA | SAINZ XE Team vai encarar a penúltima corrida da segunda temporada do Extreme E no deserto do Atacama no Chile na próxima semana (24 e 25 de setembro).

A equipe da ACCIONA, liderada por Carlos Sainz e Laia Sanz, volta à ação no primeiro campeonato de automobilismo que dá prioridade à mobilidade sustentável, à igualdade entre homens e mulheres e à luta contra as alterações climáticas. A EQUIPE ACCIONA | SAINZ XE Team, atualmente em terceiro lugar na classificação geral, terá como objetivo fechar a lacuna após uma corrida final na Sardenha, que foi fortemente afetada pelo impacto de um rival.

Dessa maneira, o Chile sediará a primeira fase classificatória do campeonato na América Latina depois que o calendário da temporada teve que ser reconfigurado devido ao impacto da Covid-19.

O Copper X Prix colocará em destaque a urgência de desenvolver uma indústria de mineração mais sustentável para o planeta, chave para a transição do automobilismo para veículos elétricos. Por esse motivo, o circuito de corrida estará localizado em um ambiente próximo das três das maiores minas de cobre do planeta.

Esse X Prix servirá também como uma demonstração das capacidades da mobilidade elétrica em contextos extremos. Apesar do evento ser realizado a uma altitude de 2.200 metros, o Odyssey 21, o 4 x 4 oficial da competição, não terá nenhum impacto em sua potência. Um carro equivalente movido a gasolina perderia cerca de 20% da sua energia por causa da menor densidade do ar.

A ACCIONA, que já liderou a primeira equipe capaz de completar um Dakar com um veículo 100% elétrico em 2017, consolida seu compromisso com um novo modelo de corrida automobilística para demonstrar a confiabilidade da mobilidade elétrica e a competitividade das energias renováveis em uma das corridas mais exigentes do planeta.

Dessa maneira, a empresa reforça seu compromisso social com o desenvolvimento sustentável, a igualdade de gênero e a luta contra as alterações climáticas por meio do esporte.

Como em cada uma das provas do campeonato, as dez equipes do Extreme E participarão do Programa Legacy, a estrutura de iniciativas coordenadas por um comitê científico de especialistas com o objetivo de causar um impacto positivo no ambiente em que competem.

Nessa ocasião, as equipes colaborarão com o Museu de História Natural e Cultural do Deserto do Atacama em um projeto de conservação de anfíbios nativos da região, especificamente o sapo Loa, uma espécie em perigo crítico de extinção devido ao impacto da indústria de mineração. Em 2014, havia apenas 62 indivíduos dessa espécie.

 

ACCIONA NO CHILE

O Chile é um dos principais países em que a ACCIONA opera. A empresa está presente no país desde 1993. Atualmente, no Chile, a Acciona tem uma capacidade instalada renovável de 922 MW, distribuída entre três parques eólicos e cinco usinas fotovoltaicas. A ACCIONA evita a emissão de 13,4 milhões de toneladas de CO2 no país a cada ano.

Além disso, a ACCIONA também forneceu diversas soluções sustentáveis de infraestrutura, desde autoestradas a estações de tratamento de água e hospitais. No projeto do Hospital Marga Marga, a ACCIONA criou uma equipe de 35 mulheres responsáveis para a construção do berçário do hospital, tornando-o o primeiro projeto de infraestrutura do país a ser construído com uma perspectiva de gênero.

ARTIGOS RELACIONADOS

ARTIGOS RELACIONADOS