A equipe ACCIONA|SAINZ XE Team se vê isolada na final da Sardenha por uma falha

COMPARTILHAR

27/10/2021

Falhas no comando do Odyssey21 impediram a passagem para a Final da equipe ACCIONA|SAINZ XE Team após um ótimo início de Carlos Sainz na 2ª semifinal

Uma falha na direção do carro de corrida oficial (Odyssey21) brecou as aspirações da equipe ACCIONA|SAINZ XE Team quando estava a caminho de garantir sua presença na Final do Enel X Island X Prix do Extreme E.

Carlos Sainz aplicou uma nova estratégia de saída que lhe permitiu posicionar-se rapidamente na disputa pelo primeiro lugar na 2ª semifinal. Uma falha na caixa de direção tirou o veículo da competição. Longe de desistir, mas ainda sem opções, Laia Sanz completou a volta com o SUV danificado.

Falhas mecânicas no veículo padrão do campeonato foram uma constante em todas as equipes do Extreme E durante o Enel X Island X Prix, sendo a ACCIONA| SAINZ XE Team uma das equipes mais atingidas.

Apesar do bom desempenho demonstrado quando conseguiu competir na pista, a equipe ACCIONA perde uma posição na classificação geral e enfrentará a última prova, o Jurassic X Prix, na sexta colocação com 78 pontos.

A prova terminou com a vitória da equipe Rosberg X Racing, que se mantém na liderança do campeonato.

CONSEQUÊNCIAS CLIMÁTICAS

O Enel X Island X Prix ofereceu um retrato das consequências diretas do aquecimento global na forma de ondas de calor cada vez mais intensas, secas e, acima de tudo, os grandes incêndios que assolam a costa mediterrânea todos os anos.

O ambiente natural danificado pelos incêndios de Capo Teulada, localizado no sul da ilha, foi palco de uma prova em que nove equipes competiram com seus SUVs Odyssey21 100% elétricos movidos a sistemas de hidrogênio verde.

A ACCIONA participa desta transição sustentável do automobilismo com a equipe ACCIONA | SAINZ XE Team, com o objetivo de aumentar o compromisso social na luta contra as mudanças climáticas, fomentar a mobilidade sustentável e a igualdade de gênero por meio do esporte.

Para este Enel X Island X Prix, a competição participou de diversas atividades de conscientização ambiental com o amparo de um comitê científico especializado. O Extreme E e suas equipes deram suporte aos esforços de duas ONGs locais na restauração das florestas da zona de Oristano, onde ocorreram grandes incêndios, e dos prados de Posidonia oceânica, um dos grandes “depósitos” de CO2 do Mediterrâneo.

Com essa incursão no automobilismo de ponta, a ACCIONA busca reforçar o compromisso social em torno do combate às mudanças climáticas e a necessidade de acelerar a transição para uma economia de baixo carbono por meio dos esportes de massas.

FASE FINAL

Após a prova da Sardenha, o Extreme E enfrenta a última corrida desta edição inaugural com tudo ainda a ser decidido. O Jurassic X Pric, no condado de Dorset, litoral sul da Inglaterra (Reino Unido), vai encerrar a série no final de semana de 17 a 19 de dezembro.

A corrida buscará destacar a necessidade de mudar o conceito de mobilidade para deixar para trás o motor de combustão, algo em que o Exército do Reino Unido já está trabalhando muito. Por esse motivo, a prova acontecerá em Bovington, uma conhecida base militar do Exército britânico localizada na costa jurássica.

ARTIGOS RELACIONADOS

ARTIGOS RELACIONADOS