A equipe ACCIONA | SAINZ XE sofre falha no carro de teste e não consegue terminar a final do segundo X Prix da Ilha

COMPARTILHAR

10/07/2022

A equipe ACCIONA teve que competir com um protótipo emprestado pela corrida depois de ficar sem seu carro devido à grave colisão sofrida na última quinta-feira

A equipe ACCIONA | SAINZ XE não conseguiu completar a final do segundo X Prix da Ilha da Sardenha depois de sofrer uma pane com o carro de teste fornecido pela organização.

A participação da equipe ACCIONA foi bastante marcada pelo grave impacto sofrido por Carlos Sainz na última quinta-feira na primeira das duas corridas da Sardenha, que o privou de seu próprio carro.

A equipe de automobilismo conseguiu regressar à competição graças ao empréstimo da organização de um dos seus protótipos de teste e à capacidade dos engenheiros e mecânicos da equipe de o conseguir acelerar do zero em tempo recorde.

Nessas condições, com um novo veículo e Carlos ainda com dores, a dupla de Sainz e Sanz conseguiu se qualificar para a final depois de completar com sucesso as duas qualificações, chegando a definir o melhor tempo em uma delas, e uma semifinal em que selaram sua classificação com um segundo lugar.

A equipe ACIONA | SAINZ XE está muito penalizada na disputa pelo título final das duas corridas na Sardenha, onde não conseguiu pontuar em ambas as finais devido a questões não relacionadas ao seu desempenho esportivo.

CONSCIÊNCIA CLIMÁTICA

As dez equipes do Extreme E correram em um ambiente que reflete o impacto direto das mudanças climáticas no ecossistema da ilha italiana. Os carros Odyssey 21 — os SUVs off-road 100% elétricos oficiais — foram colocados em uma pista marcada por extrema aridez, agravada pelas altas temperaturas que o aquecimento global implica.

O segundo X Prix da Ilha aproximou os espectadores do automobilismo de um ambiente afetado pela seca e pelo risco constante de incêndios florestais. Só em julho de 2021, a Itália quebrou seu recorde de incêndios florestais com 13.000 focos que queimaram um total de 20.000 hectares.

Com a sua participação à frente da equipe ACCIONA | SAINZ XE, a ACIONA procura apoiar o Extreme E para aumentar a conscientização sobre a ameaça das mudanças climáticas em diferentes partes do planeta e a necessidade resultante de lutar, acelerando a transição para uma economia de baixo carbono.

Assim, a ACCIONA reforça o seu apoio à mobilidade elétrica, demonstrando sua confiabilidade e competitividade em uma das competições de automobilismo mais exigentes do mundo. A empresa também reforça seu compromisso social com o desenvolvimento sustentável, a igualdade de gênero e a luta contra as mudanças climáticas por meio de eventos esportivos em massa.

DUAS FINAIS

Após o duplo evento na Sardenha, o Extreme E está indo para a parte final do campeonato. A corrida dará o salto pela primeira vez para a América Latina com duas corridas que decidirão o resultado desta segunda temporada.

A primeira, o Copper X Prix, será realizada em 24 e 25 de setembro em Antofagasta (Chile). O tema da corrida será o uso responsável de minerais, um recurso não renovável que é fundamental para o desenvolvimento de muitas indústrias, incluindo veículos elétricos.

A segunda temporada terminará no Uruguai, no Energy X Prix (26 e 27 de novembro) em Punta del Este.

ARTIGOS RELACIONADOS

ARTIGOS RELACIONADOS