Estas são as últimas novidades do Extreme E

COMPARTILHAR

27/08/2021

Esta primeira edição do Extreme E propõe um formato pioneiro, pensado para promover o desenvolvimento sustentável e o combate à emergência climática, bem como a igualdade de gênero, valores com os quais a ACCIONA está comprometida.

A equipe ACCIONA | SAINZ XE Team competirá contra outras oito equipes em cinco provas, percorrendo diversos ecossistemas afetados pelas mudanças climáticas em 2021. O primeiro X Prix foi realizado em Al-Ula, na Arábia Saudita, e mostrou as consequências da desertificação e da seca para um público de 18,7 milhões. Foi seguido pelo Ocean X Prix, em Dakar, no Senegal, refletindo a ameaça do aumento do nível do mar e da poluição dos oceanos.

O campeonato anunciou a alteração do local das duas últimas corridas devido à incidência da COVID-19. O Extreme E continuará sua turnê na Sardenha, no Island X Prix (nos dias 23 e 24 de outubro), para aumentar a conscientização sobre o impacto dos incêndios cada vez mais frequentes na bacia do Mediterrâneo.

A corrida também promoverá a igualdade de gênero: as equipes serão formadas por 50% de homens e de mulheres, com o mesmo número de quilômetros percorridos por cada um dos integrantes. Além disso, o Extreme E, um membro do Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima, tem o compromisso de ser uma competição de pegada zero de carbono.

Para este Arctic X Prix, a competição desenvolverá diversas atividades de conscientização ambiental com o amparo de um comitê científico especializado. O Extreme E e suas equipes promoverão o programa NAKUUSA da UNICEF, que este ano comemora seu 10º aniversário apoiando os direitos das crianças na Groenlândia, criando conselhos infantis que ajudarão a amplificar suas vozes.

ARTIGOS RELACIONADOS

ARTIGOS RELACIONADOS